37 - Ai, que medo!

Neste episódio falamos de dois títulos do princípio da década de oitenta que não aterrorizaram gerações e foram sendo lentamente esquecidos, tornando-se matéria de lendas: Cidade em Pânico, filme de tradição licantrópica com Albert Finney(!), e O Último Terror, título low-fi com jovens promessas no elenco: Daryl Hannah, Joe Pantoliano, Rachel Ward e o grande Adrian Zmed (quem?!?). Ah, e também falamos (e muito) de um certo membro do Edward James Olmos.

35 - Paranóia à americana

Neste episódio, recuperamos dois filmes escritos por Alan Sharp que lidam com diferentes formas de paranóia: Um Lance no Escuro (Night Moves, 1975), realização de Arthur Penn com Gene Hackman, e  O Fim-de-Semana de Osterman (The Osterman Weekend, 1983), realização tardia de Sam Peckinpah numa adaptação de um romance de Robert Ludlum.

34 - A quinta do Hill

Neste episódio, recuamos ao século XIX e à fronteira americana para dois filmes de Walter Hill baseados em míticas figuras do faroeste: Jerónimo - Uma Lenda Americana (1993), sobre o índio Apache que resistiu à subjugação do seu povo pelo governo norte-americano, e Wild Bill (1995), sobre o lendário e irascível homem da lei Wild Bill Hickock.

33 - O tal canal

Neste episódio, descobrimos dois originais filmes da década de noventa escritos para a televisão por Joseph Dougherty que contaram com realizadores e elenco de calibre cinematográfico: Um Feitiço de Morte (Cast a Deadly Spell, Martin Campbell, 1991) e Witch Hunt (Paul Schrader, 1994).

31 - O tapa buracos

Porque os imprevistos acontecem, não pudemos gravar um episódio tradicional do Betamax para esta semana. Em compensação, o Rui Alves de Sousa cedeu gentilmente duas entrevistas do seu podcast À Beira do Abismo em que conversou com o Tiago Laranjo (no episódio publicado a 19 de Maio de 2018) e com o António Araújo (no episódio publicado a 2 de Março de 2019).

30 - Calhambeque Bip Bip (com Rui Alves de Sousa)

Neste episódio, em que contamos com a visita inesperada de Rui Alves de Sousa, dos podcasts À Beira do Abismo e Escolhe Tu, a equipa que nos deu Regresso ao Futuro volta a queimar borracha com dois títulos que envolvem carros a rasgar pela estrada fora: Travões Avariados, Carros Estampados (Used Cars, Robert Zemeckis, 1980) e Estrada 60 (Interstate 60: Episodes of the Road, Bob Gale, 2002).

29 - Obra-prima em 2º grau

Neste episódio celebramos o outro lado do génio com American Movie (Chris Smith, 1999) e Anvil: The Story of Anvil (Sacha Gervasi, 2008). Nestes dois filmes falamos sobre artistas persistentes que, mesmo com muito sangue, suor e lágrimas, acabam por não sair da cepa torta.

26 - Mortinho por chegar a casa

Na década de oitenta, a América ainda lambia as feridas da guerra do Vietname. Birdy: Asas de Liberdade (Birdy, Alan Parker, 1984) e Jardins de Pedra (Gardens of Stone, Francis Coppola, 1987) são dois exemplos algo esquecidos deste processo de purga colectiva.

25 - A culpa é do Alfredo

Alfred Hitchcock realizou inúmeros clássicos da sétima arte. Os dois últimos títulos da sua filmografia não são dois deles. Ainda assim, venham connosco à descoberta de Perigo na Noite (Frenzy, 1972) e Intriga em Família (Family Plot, 1976).

24 - O Costa-Gavras do Castelo

No final da década de oitenta, Costa-Gavras e Joe Eszterhas juntaram-se numa parelha improvável para dois títulos em que o racismo e a intolerância borbulham logo abaixo da superfície, e na pele de amigos, familiares e amantes: Atraiçoados, de 1988, e O Enigma da Caixa de Música, de 1989.

23 - Laranja mecânica

Em 1985, o holandês Rutger Hauer brilhou em dois filmes de cenário medieval, o provocador Amor e Sangue (Fire+Blood), do compatriota Paul Verhoeven, e A Mulher Falcão (Ladyhawke), um romance de aventura e fantasia realizado por Richard Donner.

22 - Enterra-me outra vez!

Em 1988, George Sluizer realizou no seu país natal um aclamado filme de suspense com um final inesquecível, O Homem que Queria Saber. Cinco anos mais tarde, foi atraído para realizar um remake americano em que o final foi alterado, A Desaparecida. Mas será que é tudo mau? António e Tiago discordam numa animada conversa em que o consenso foi pela janela.

21 - O psicopata sou eu!

Em 1960, o ano em que Psico, de Alfred Hitchcock, foi um sucesso de bilheteira e abriu a porta para o terror moderno, outros dois filmes chocantes ficaram na sua sombra. Neste episódio revisitamos Olhos Sem Rosto, de Georges Franju, e A Vítima do Medo, de Michael Powell.

19 - Quentes e boas!

Depois do sucesso de Nove Semanas e Meia, Zalman King colocou-se atrás das câmaras e tentou incendiar os grandes ecrãs com dois títulos ardentes: Corpos Escaldantes, com uma reveladora Sherilyn Fenn, e Orquídea Selvagem, onde Mickey Rourke conheceu de forma íntima a sua futura mulher Carré Otis.

18 - Húmido e escuro

Em 1997, estreou um filme em que uma jovem cientista se vê perseguida em passagens subterrâneas húmidas e escuras por uma criatura geneticamente alterada pela arrogância humana na procura do conhecimento e do melhoramento da nossa existência. Mas chega de falar de A Relíquia. Vamos antes falar de Predadores de Nova Iorque.