Pânico em Florida Beach

Tal como Salve, César! comenta o sistema dos grandes estúdios de Hollywood dos anos cinquenta também Pânico em Florida Beach é um filme de época sobre cinema, neste caso passado na década de sessenta e com John Goodman no principal papel, habitual colaborador dos irmãos Coen.

Lawrence, um produtor maior que a vida, tirando proveito da tensão vivida durante a crise dos mísseis cubanos, promove a estreia do seu novo filme de terror "MANT" prometendo uma criatura meio-homem, meio-formiga, fruto de radiações atómicas, em fantásticos Atomo-Vsision e Rumble-Rama, truques para atrair pessoas à sala de cinema como vibrações nos assentos ou figurantes em fatos de borracha a assustar a plateia.

Esta atracção capta a imaginação de Gene e Dennis, dois irmãos residentes na base naval local lidando com ausência do pai, colocado num navio do bloqueio marítimo americano na costa da ilha de Fidel Castro. Gene navega nas águas incertas da adolescência, fazendo novos amigos na escola relutantemente e tropeçando nas armadilhas das primeiras paixões. Entretanto Stan, um dos seus novos amigos, está também apaixonado por uma rapariga com um passado obscuro na forma de Harvey, um ex-namorado ex-presidiário que ameaça o seu romance e se cruza com dois actores, Bob e Herb, contratados para levantar polémica acerca do filme mesmo à porta do cinema local.

Todos estes eventos convergem para este local, gerido por Howard, à beira de um ataque de nervos com a iminência dos ataques nucleares, para a matiné de estreia de MANT apresentada por Woosley em pessoa e Ruth, a actriz principal que participa contrariada nas peripécias preparadas por aquele na sala de cinema destinadas a ampliar a experiência cinematográfica dos patronos pagantes.

Não percam na próxima segunda-feira, dia 29, o texto integral sobre Pânico em Florida Beach no próximo episódio do podcast em www.segundotake.com/podcast.